Estudo das cadeias de valor
no estado do Amazonas

Workshop de Bioeconomia

USP/FAPESP – INPA/FAPEAM

Os Workshops de Bioeconomia são uma iniciativa que busca analisar os componentes das cadeias de valor e identificar os fatores inibidores e propulsores em prol da sustentabilidade e competitividade, além de propor ações que promovam a geração de emprego, renda e bem-estar.

III Workshop

Os pagamentos por serviços ambientais beneficiam as comunidades locais?
21 de setembro de 2022

II Workshop

Bioeconomia e cadeias de valor

Fevereiro de 2022

I Workshop

Prioridades para o estudo de Bioeconomia

Agosto de 2021

Cadeias de valor com base na biodiversidade para geração de emprego e renda nos estados do Amazonas e São Paulo

O objetivo da pesquisa é identificar fatores críticos para elevar a competitividade de cadeias produtivas com base na biodiversidade no Estado do Amazonas, com alto potencial de consumo no Estado de São Paulo.

Serão analisados localmente os componentes das cadeias produtivas e identificados os fatores inibidores e propulsores de elevado desempenho para propor soluçõesque respondam aos problemas identificados.

O estudo caracteriza-se como uma pesquisa descritiva-exploratória, e se fundamenta nos princípios de pesquisa-ação. O método utilizado será o estudo de caso múltiplos, considerando quatro unidades de análise – as cadeias do pirarucu, açaí, cacau e castanha do Brasil.

Ao término da pesquisa, serão priorizadas recomendações de políticas públicas nas esferas da geração de empregos e renda, da segurança alimentar e da educação para a cidadania. O conhecimento construído, que inclui a prospectiva tecnológica, será disseminado por meio de conteúdos impressos (livro e artigos) e digitais (site e vídeos).

A sistematização dos casos permitirá a identificação de práticas empresariais atuais e inovadoras, para a proposição de modelos replicáveis em outras cadeias setoriais.

Estes modelos incluirão métricas de monitoramento da governança nos componentes das cadeias produtivas e sua articulação.

Com o intuito de obter resultados e gerar impactos, os agentes de entidades privadas e públicas serão engajados desde o início dos estudos por intermédio de um conselho de orientação, no delineamento, realização, disseminação e monitoramento dos resultados empíricos.

  • Comunidades extrativistas de cacau no Amazonas
    Neste vídeo, o pesquisador Lucas Xavier apresenta um relato de experiência imersiva, no âmbito do Projeto Bioeconomia, em duas regiões do Amazonas, Rio Madeira e Rio Juruá. 
  • Porque proteger as florestas e os polinizadores na Amazônia?
    Abelhas e besouros são dois dos principais grupos de polinizadores para o açaí, a castanha-do-Brasil e babaçu. No artigo « Status and trends of pollination services in Amazon agroforestry systems » publicado na revista  Agriculture, Ecosystems and Environment os pesquisadores do Instituto Vale, da Universidade Federal de Goiás e da Universidade Federal do Pará mostram a importante contribuição dos polinizadores para a […]
  • Capital e biodiversidade
    O tema da biodiversidade é abordado neste documento recente publicado pelo Goldman Sachs. Segundo o relatório, atualmente apenas 10% do investimento anual necessário para reverter a perda da natureza é realizado, sendo o financiamento predominantemente público. O documento procura explorar oportunidades para oinvestimento privado em modelos de negócios associados à biodiversidade.
  • Três referências para acompanhar o debate sobre biodiversidade e clima
    1.    Alocução de António Guterres, Secretário-Geral das Nações Unidas, na abertura do debate geral da 77ª Sessão da Assembleia Geral da ONU  (Nova Iorque, 20 a 26 de setembro de 2022). https://media.un.org/en/asset/k1p/k1p449fd95 2.    Bioeconomia na Amazônia: Análise Conceitual, Regulatória e Institucional  Pesquisa sinaliza riscos e aponta para a necessidade de formulação de uma estratégia para a promoção da bioeconomia na […]
  • A restauração de ecossistemas beneficia as pessoas e o planeta
    Estudo publicado British Ecological Society’s Journal People and Nature mostra o potencial de gerar até 2,5 milhões de empregos diretamente por meio da cadeia de suprimentos de restauração de ecossistemas, se o Brasil cumprir sua meta de restaurar 12 milhões de hectares de terras degradadas até 2030. Coordenado pelos pesquisadores Pedro Brancalion, professor da Universidade de São […]

Realização

Realização

Apoio